Translate

1 de junho de 2009

Nova, Nova Lisboa

A cidade do Huambo, capital da província com o mesmo nome, foi chamada Nova Lisboa entre 1928 e 1975 e foi em tempos apontada para ser a capital do Império Português.
Desta cidade massacrada pela guerra civil, a imagem que eu tinha, vinha principalmente, de umas fotografias, que um colega da UNAVEM tirou em 1995. Nessas fotos, via-se uma cidade semi-destruída, com os edifícios cheios de buracos, uns de balas e de rockets e outros de maior dimensão fruto dos bombardeamentos.
Ainda há marcas da guerra

Ainda hoje me vem à memoria, a fotografia do poste de um sinal de trânsito, que tinha tantos, mas tantos, buracos de bala, que parecia um passador. Esta imagem marcou-me, se uma coisa tão fina como um poste de um sinal de trânsito ficou assim, imagine-se a quantidade de tiros que foram dados naquela zona.
 

Entretanto nos últimos tempos, sempre que se falava do Huambo, toda a gente dizia que a cidade estava toda nova. Diz-se até por aí, que o bom trabalho, valeu ao anterior Governador da Província, a nomeação para 1º ministro da Republica de Angola.
No fim de semana prolongado, devido ao feriado do Dia Mundial da Criança, lá fomos até ao Huambo para conhecer mais uma cidade e desanuviar do caos de Luanda.
A segunda coisa que mais me surpreendeu na viagem foi o bom estado geral dos edifícios e das infraestruturas visíveis da cidade. As ruas estão todas com pavimento em bom estado, os passeios arranjados e as fachadas dos edifícios foram recuperadas. Ainda conseguimos encontrar alguns vestígios da violência da guerra em alguns edifícios, mas poucos.
Eu digo a segunda, porque o que me surpreendeu mais foi mesmo o planalto central.
Já tinha ouvido falar muitas vezes do planalto central, mas nunca pensei que fosse uma coisa assim, são quilómetros e quilómetros de planalto, apenas marcados aqui e ali por uns enormes pedregulhos. Começamos a subir a seguir ao Dondo e depois até ao Huambo a altitude mantém-se entre 0s 1300 e os 1400m, é como estar na planície alentejana mas a 1300m de altitude, é como subir às Penhas da Saúde e depois conseguir andar a direito durante mais de 300Km, é obra!

Voltando aos vestígios da guerra civil que segundo um locutor de uma rádio angolana, talvez devessem ser preservados como atracções turísticas, parece-me um exagero...
Igreja do Bailundo